Por que não sou uma mãe especial

Marta_0127_pb_500x500fNão, eu não sou mãe especial. Nem minha filha é especial. Ela tem síndrome de Down. Isso não tem nada de especial. Tem a ver, sim, com diferença. Com percepção e vivência da diferença no cotidiano. Com percepção e aceitação do outro. Tem a ver com a possiblidade de enxergar a vida com olhos fora do padrão. E relaxar nessa experiência que, assim, se torna natural.

É a essa dimensão que me remete o primeiro episódio da web-serie “Geração 21”, de Alex Duarte, que conta a história da Thathi Piancastelli, uma jovem atriz que tem síndrome de Down e que ganhou fama por conta da peça de teatro profissional que escreveu e na qual atua ao lado de dez artistas em Nova York.

Certamente, a história de Tathi inspira a todos nós, mães, pais, avós, tios, amigos de crianças com síndrome de Down. Mas não porque ela seja especial, diferenciada, pelo modelo que ela possa representar – o que até seria esperado, afinal, Tathi é uma vitoriosa.

Sua história me inspira por conta daquilo que relatam as pessoas que convivem com ela. E que, afortunadamente, eu experimento no dia-a-dia na convivência com minha Zoë: presença, inteireza, abertura para a vida e para o outro. E isso não tem nada de especial.

Cartaz da peça de Thathi Piancastelli, em cartaz em Nova York
Cartaz da peça de Thathi Piancastelli, em cartaz em Nova York

Afinal, como diz Debora Balardin, diretora de teatro que montou a peça, a inclusão não diz respeito à inclusão da Thathi, e sim à inclusão de todos, à inclusão total, na qual cada um expressa e vivencia aquilo que é e pode dar de melhor.

Não há vitória a ser conquistada, nem desafio a ser superado. Apenas vida a ser vivida.

Link para o Episódio 1 da web-série “Cromossomo 21”

Link para a página no Facebook: https://www.facebook.com/Cromossomo21/?pnref=story

A sexta edição da Caminhada pela Inclusão, promovida pelo CEESD e Fundação Síndrome de Down, será no próximo dia 19 de março, na Praça Arautos da Paz, Campinas, a partir das 9 horas (na foto, de Martinho Caires, a edição de 2016)
A sexta edição da Caminhada pela Inclusão, promovida pelo CEESD e Fundação Síndrome de Down, será no próximo dia 19 de março, na Praça Arautos da Paz, Campinas, a partir das 9 horas (na foto, de Martinho Caires, a edição de 2016)

Sobre Marta Avancini

Paulistana que cresceu embalada pelo ritmo da cidade grande e que, assim, tomou gosto pelas ideias, artes e comunicação. Acredita que um mundo melhor se faz no aqui-agora, na teia de relações sociais e afetivas que acontecem no cotidiano, e que o jornalismo pode, sim, colaborar para a construção de uma sociedade mais consciente, ética e humanista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *