Professor Zuffo, da Unicamp, referência em recursos hídricos na região de Campinas (Foto Adriano Rosa)
Professor Zuffo, da Unicamp, referência em recursos hídricos na região de Campinas (Foto Adriano Rosa)

Referência no tema na região de Campinas, professor da Unicamp não foi convidado para o Fórum Mundial da Água

SÉRIE 8° FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA – II

O professor Antônio Carlos Zuffo, do Departamento de Recursos Hídricos da Faculdade de Engenharia Civil da Unicamp, é uma das principais referências no tema “água” na região de Campinas. Ele foi muito ativo durante a crise hídrica de 2014-2015. Participou de muitos eventos, foi convidado a apresentar suas posições e propostas para a segurança hídrica nas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). Pois o professor Zuffo simplesmente não foi convidado a participar do 8° Fórum Mundial da Água, que está acontecendo nesta semana em Brasília. A região de Campinas está representada no Fórum basicamente por membros de organizações oficiais, mas sem a presença de muitos profissionais com posições mais críticas embora de longa trajetória e contribuição no tema, inclusive com dezenas de livros publicados.

O especialista da Unicamp demonstra muita preocupação com a situação dos recursos hídricos nas bacias PCJ. Ele nota que houve maior liberação de água do Sistema Cantareira para a região nos últimos meses, marcados por registros de chuvas bem abaixo da média histórica. Entretanto, entende que o mesmo pode não acontecer no Verão de 2018-2019, pós período eleitoral, se novamente houver menor volume de chuvas. “Aí já passaram as eleições, teremos outro quadro, e sabemos que os próprios governos às vezes não obedecem a legislação”, comenta.

Para que haja segurança hídrica na região de Campinas e Piracicaba, situada nas bacias PCJ, o professor Zuffo considera que a construção das barragens de Pedreira (rio Jaguari) e Duas Pontes (rio Camanducaia) é estratégica e essencial. Do mesmo modo, lembra porém que as barragens são obras que podem demorar anos e dependem de dotação orçamentária, eventualmente sujeita a cortes.

Cortes que o próprio professor da FEC-Unicamp conhece muito bem. Ele estava coordenando um longo projeto com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), denominado Bacias Representativas de Usos Mistos. O projeto foi encerrado em 2017, embora não tenha sido concluído em sua integralidade em função do contingenciamento de recursos em Ciência e Tecnologia por parte do governo federal.

O professor Zuffo considera que o fato de não ter sido convidado para o 8° Fórum Mundial da Água é uma decorrência natural. “É natural que quando você tenha posições contrárias a alguns interesses, esses interesses farão de tudo para não de dar espaço. É de se esperar no Brasil”.

Enfim, o 8° Fórum Mundial da Água não terá a participação de muitos estudiosos que poderiam tornar o evento de fato histórico. A Agência Social de Notícias publicou muitos artigos e reportagens, durante a crise hídrica de 2014-2015, tendo o professor Antônio Carlos Zuffo como uma das fontes principais (aqui).

Sobre José Pedro Soares Martins

Mineiro nascido com gosto de café e pão de queijo, ama escrever pois lhe encantam os labirintos, os segredos e o fascínio da vida traduzidos em letras.

Check Also

Atibaia seco em 2014: rios e matas da APA de Campinas demandam atenção permanente (Foto Adriano Rosa)

Campinas, a ONU e o meio ambiente que tem história

Campinas recebe neste sábado, dia 3 de fevereiro, representantes do Programa das Nações Unidas para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *