José Pedro Soares Martins

Mineiro nascido com gosto de café e pão de queijo, ama escrever pois lhe encantam os labirintos, os segredos e o fascínio da vida traduzidos em letras.

A morte da figueira e a dor no coração

O que sobrou da árvore querida (Fotos José Pedro S.Martins)

Parem tudo, parem o mundo se for possível, pois mais uma árvore caiu no Centro de Convivência. No coração do Cambuí, no meu coração, uma dor profunda porque não é a primeira vez que acontece, no mesmo território destinado ao bem estar, ao estar com. Pouco antes do Natal de 2014, foram outras duas árvores enormes, tombadas após fortes chuvas. Uma “operação de guerra”, informou esta Agência Social de Notícias (aqui), foi montada para a retirada da maior delas.  Motosserras, caminhões, muitos homens mobilizados para o deslocamento dos grandes galhos que durante muito tempo transportaram a seiva da vida. O ritual foi repetido agora, para o carregamento dos restos mortais da figueira que ali reinava, linda, acolhedora. Motosserras, caminhões, muitos …

Leia Mais »

DESCOPA I – AS GUERRAS QUE O FUTEBOL NÃO APAGA

CUP (ZP3DRO)

A Arábia Saudita foi goleada pela Rússia na abertura da Copa de 2018. Rússia que persegue homossexuais e acorrenta a imprensa e Arábia Saudita que lidera coalizão árabe contra os houthis que controlam boa parte do Iêmen. Os houthis teriam apoio, inclusive armado, do Irã, que hoje jogou e ganhou do Marrocos. Pelo menos 16 dos 32 países que disputam a competição convivem no momento com episódios de violência extrema, xenofobia, grave crise econômica e outras formas de crueldade e instabilidade. Mas tudo bem, é a Copa mermão! Que o digam os milionários do Brasil comandado pelo Tite campeão de publicidade no país em que, segundo as pesquisas, a maioria está mesmo é preocupada com o caos que nos cerca …

Leia Mais »

O movimento dos caminhoneiros e a insustentabilidade do Brasil

Veículos elétricos usados pela CPFL, que está investindo em novas fontes energéticas (Foto Martinho Caires)

Pois o movimento dos caminhoneiros, em protesto contra as altas constantes nos preços dos combustíveis, entrou no quarto dia com impacto em vários setores da economia e no cotidiano dos brasileiros. O desgastado Palácio do Planalto tenta agir com acordos que, até o momento, não sensibilizaram os motoristas. Os profissionais ainda não parecem dispostos a voltar ao trabalho, entendendo que o oferecido pelo governo é muito pouco. Várias questões em jogo e uma delas é a da insustentabilidade de nosso sistema de transporte e de nossa matriz energética, tema pouco falado até o momento nessa crise assustadora. O Brasil tem cometido erro em cima de erro nesse sentido. Abandonou as ferrovias e não tem explorado como poderia as hidrovias, deixando …

Leia Mais »

A importância de Alberto Dines para o jornalismo brasileiro

Alberto Dines, jornalista (Foto Rodrigo Ricardo EBC/ Divulgação)

Não faltarão,  nas análises sobre a biografia de Alberto Dines, falecido nesta terça-feira, 22 de maio, expressões tipo “com ele, morre uma era do jornalismo brasileiro”. É a pura verdade, mas Dines significa mais do que o jornalismo dito romântico,  aquele da reportagem,  da apuração detalhada dos fatos. O jornalismo que continua muito válido e essencial, em plena era das fake news. Uma das principais contribuições de Dines é sua preocupação permanente com a avaliação crítica da própria imprensa. Foi assim com o Jornal dos Jornais, de 1975, e o Jornal da Cesta, de 1977, e continuou com o Observatório da Imprensa, de 1997 até hoje. A imprensa brasileira repele a autocrítica.  Muitas vezes é arrogante, acha que sabe tudo. …

Leia Mais »

O que o senhor Armindo Dias representa para Campinas

Campinas insiste em brilhar (Foto Martinho Caires)

Várias leituras são possíveis a respeito da trajetória do senhor Armindo Dias, empresário falecido neste domingo, 20 de maio, em Campinas. Vou destacar três, que aponto com base no conhecimento que tive dele, como jornalista e acima de tudo morador da cidade que ele, nascido em Portugal, amava tanto, como eu amo. A primeira se refere justamente a sua origem lusitana. Era, portanto, um migrante, como tantos outros cidadãos brasileiros e mundiais que escolheram Campinas para viver. A cidade que abraça o que vem de fora, que acolhe e provoca um diálogo multicultural e multiétnico de enorme potencial. Sim, não se trata de uma conversa fácil, há muitos ruídos nessa comunicação entre tanta gente de raízes distintas, mas o que …

Leia Mais »