Artigos Recentes

blog-adriana-igreja-2-ciranda

As pequenas grandes coisas (como o voto)

O movimento da ciranda, dois passos pra frente e dois passos pra trás, repetidas vezes, como as ondas do mar. O ir e vir, a maré, a batida do coração, o pulsar. Metáfora da vida, que vai e vem. Tudo isso eu sinto com uma foto. Apenas uma foto acelerou meu coração, que bateu no compasso da ciranda. A rápida passagem da foto aérea da Igreja de Boa Viagem, na abertura do filme ‘Aquarius’, do pernambucano (e conterrâneo, como a ciranda) Kleber Mendonça Filho, me transportou para as enormes cirandas que aconteciam todos os domingos na praça em volta da …

Leia Mais »
Blog Adriana organico frutassecas

Por uma vida sem agrotóxicos

O que deveria ser muito simples – optar por uma alimentação menos intoxicante – tem se tornado uma batalha. A situação é quase impositiva: você só consegue comer sem riscos se adotar uma bandeira ou um novo estilo de vida muito diferente do padrão. Essa condição é inquietante. Será que não se pode comer menos agrotóxicos sem precisar mudar para o campo, produzir o próprio alimento e viver uma vida completamente alternativa? É querer demais continuar na cidade e consumir somente aquilo que não foi feito em grande escala e com muito herbicida? Para não ingerir uma colher de sopa …

Leia Mais »
Paisagem de Minas Gerais: pôr do sol             Foto: João Vilar

O novo sempre vem

A música do cearense Belchior ‘Como os nossos pais’, composta na década de 1970, ficou eternizada na voz de Elis Regina. Quem não conhece? Dificilmente alguém com mais de 40 anos no Brasil nunca ouviu ou cantou esta música sem achar que a compôs, tamanha a identificação. Eu não me canso de ouvi-la. E na última vez que escutei (sempre cantarolando junto, de preferência na cozinha), me detive na seguinte estrofe: Mas é você que ama o passado e que não vê É você que ama o passado e que não vê Que o novo sempre vem… A letra inteira …

Leia Mais »
O famoso beijo que o marinheiro deu na enfermeira, no dia 14 de agosto de 1945, assim que soube do fim da II Guerra Mundial, nas ruas de Nova York, registrado pelo fotógrafo da Life Alfred Eisenstaedt

O beijo e a tragédia

O coração acelerado, mais suor no corpo, tudo quente com a adrenalina circulando, as células clamando por oxigênio. Assim reage o corpo ao beijo. Inspiração para o amor. Nos livros, no teatro, no cinema e nas praças, em tempos de amar, tem sido assim. Mas agora, em tempos de ódio, o beijo aparece em manchetes de tragédia, de atiradores, de homofobia, de morte. O atirador norte-americano que matou 49 pessoas em uma boate, em Orlando (EUA), há uma semana, teria se irritado ao ver um beijo, disse seu pai. Dois homens que se beijavam o teriam inspirado a disparar contra …

Leia Mais »
Blog Adriana cartaz piada machista

Sua piada machista mata mulheres todo dia!

Estive em Mariana (MG) na semana passada para uma reportagem sobre o rompimento da barragem de Fundão que resultou no maior desastre ambiental do País. Um dia antes de eu chegar, tinha acontecido uma manifestação na Praça da Sé, uma das principais da cidade, contra a cultura do estupro. Lamentei não ter chegado a tempo de participar, mas comemorei por ver que em todo canto pipocam protestos por esta causa – aliás, não apenas por esta; eu apoio quase todos os protestos de rua que acontecem hoje no Brasil e no mundo, porque, afinal de contas, primeiramente, Fora Temer! Eu …

Leia Mais »
Foto da Agência Estado (AE) publicada há cinco anos (maio de 2011), durante Marcha pela Liberdade em São Paulo em resposta à repressão policial ocorrida na semana anterior contra a Marcha da Maconha

Lliberdade política é participar das decisões e escolher propostas em vez de representantes

Sabe aquelas situações em que o universo parece conspirar contra, mas por algum motivo você, teimosamente, insiste? Normalmente, quando isso acontece, o resultado é surpreendente. Aconteceu comigo essa semana e, no final, eu entendi que o propósito era que eu chagasse a uma informação importante pra mim. Parece pouco, mas não é. Era o que eu precisava ouvir sobre democracia e liberdade. O professor de filosofia Milton Meira do Nascimento, da Universidade de São Paulo (USP), tinha me atendido gentilmente por telefone quando solicitei uma entrevista, mas a agenda dele estava lotada. Ainda assim, ele me pediu que enviasse as …

Leia Mais »
Zé Celso Martinez e Fabrício Boliveira recriam a cena clássica do filme "Macunaíma", inspirado na obra de Mário de Andrade, vivida por Paulo José e Grande Otelo

A corrupção nossa de cada dia e nosso caráter Macunaíma

Não fomos nós que inventamos a corrupção. Na Roma Antiga , o Senado italiano de Júlio César (o mesmo que o esfaqueou com ódio até a morte – “Até tu, Brutus?”) já comprava votos ou praticava a chantagem para obter o resultado esperado. Mas em que momento, afinal, nós brasileiros teríamos incorporado a corrupção em nossas vidas a ponto de não nos surpreendermos mais com uma sonegação ou uma propina? Será que aceitamos por conivência ou por conveniência? Ficamos sem ação diante da corrupção na política porque somos todos corruptos? Na semana passada eu precisei remarcar uma prova em uma …

Leia Mais »
Blog Adriana voumeembora

Vou-me embora

– Eu já vou. – Pra onde? – Vou-me embora. – Pra fora do País? – Não, vou embora pegar meu filho. – Ah, pensei que tinha desistido. – Não, claro que não. – Não vai não, fica mais um pouquinho, toma outro café. – Mas se a coisa piorar eu vou mesmo. – Eu sei, você já disse, seu filho espera um pouquinho. Fica aí. – Não, eu digo que vou embora do País se piorar. – É, mas vai piorar. Você já sabe para onde vai? -Se eu for embora? Não sei, só sei por enquanto que vou …

Leia Mais »
"Mulher com flor", Pablo Picasso, 1932, óleo sobre tela

A todas as mães-poesia que vivem entre isto e aquilo

É verdade que quando Cecília Meireles escreveu o poema ‘Ou isto ou aquilo’, em 1964, pensava no universo infantil, no drama diário das crianças de terem de escolher entre brincar e estudar, correr ou ficar tranquilo. Mas quando lembro dos versos, o que me vem à mente é a vida de escolhas de uma mãe. “É uma grande pena que não se possa estar ao mesmo tempo nos dois lugares! (…) Ou isto ou aquilo; ou isto ou aquilo E vivo escolhendo o dia inteiro” Que vontade de estar com um filho e outro ao mesmo tempo, de poder estar …

Leia Mais »
'La Cocina', performance da artista sérvia Marina Abramovic em homenagem a Santa Teresa de Ávila e suas experiências de êxtase e levitação Crédito: TIC y Museos Performance Art

O machismo na rotina do lar, na posse da bela e no recato por imposição

Ainda existem belas, recatadas e do lar porque no mundo há homens que não lavam sua própria xícara de café.  O contraponto a este modelo de mulher, publicado por uma revista semanal na última semana como um exemplo da boa e confiável esposa, não são as mulheres risonhas e desinibidas ou trabalhadoras independentes (que invadiram as redes sociais de forma bem-humorada e divertida); o contraponto são homens que dividem o trabalho da casa com a mulher e que têm prazer em ver a parceira realizar-se pessoalmente no trabalho e com autonomia financeira; homens que não se prendem a padrões de …

Leia Mais »