Peixes, crianças e alergias

Andre_PB_400x400Recentemente, escrevi um artigo no qual levantava questões sobre uma dieta livre de carne, mostrei os dois lados da moeda e deixei em aberto questões para discussão. O artigo foi bastante polêmico, muitos leitores argumentavam a favor ou contra uma dieta livre de carne. Pensei em acrescentar alguns “tentáculos” àquele artigo, complementá-lo e adicionar (à medida do possível) novas descobertas, envolvendo a alimentação.

Pesquisadores suecos descobriram recentemente que o consumo de carne de peixe, logo nos primeiros anos de vida de uma pessoa, o protegerá de desenvolver doenças alérgicas.

A rinite alérgica é uma resposta do organismo a fatores externos, pois ela se desenvolve quando o sistema imunológico torna-se sensibilizado e reage assim de forma exagerada a algo no ambiente.

Pólen, poeira, pelos de animais são os maiores causadores de uma resposta alérgica, e isso está se tornando bastante comum em crianças de países industrializados. Curiosamente, crianças que crescem em zonas rurais e em contato com animais possuem menos da metade da chance de desenvolver uma rinite alérgica quando comparadas a uma criança de uma grande cidade. A cada dia, estudos científicos têm comprovado a importância de uma criança ser exposta a agentes externos, como poeiras, pólen, animais e germes, para desenvolver seu sistema imunológico.

Foto: Creativecommons
Foto: Creativecommons

A falta de exposição a micro-organismos imunorreguladores, nas sociedades urbanas modernas, e também a alimentação, está resultando em uma epidemia de doenças inflamatórias.

Os cientistas demonstraram que bebês de até um ano de idade que comem carne de peixe, pelo menos uma vez ao mês, têm até 30% menos chance de desenvolver rinite até a idade de 12 anos. Mas, essa descoberta não é tão nova, na verdade, ela veio para dar ainda mais força a vários estudos que já encontraram ligações entre o consumo de peixe e derivados quando criança com a redução de asma e eczemas. Estudos também mostraram que bebês cujas mães ingeriram suplementos de óleo de peixe durante a gravidez mostraram ter menos intolerância ou alergias alimentares.

Os responsáveis por essa proteção contra alergias poderiam ser os chamados óleos Ômega 3. Eles estão em grande quantidade em peixes, e esses tipos de óleos também são conhecidos por apresentarem atividade anti-inflamatória. Por outro lado, outro tipo de óleo, conhecido como Ômega 6, encontrado em vegetais, pode causar respostas inflamatórias.

Uma das razões para o aumento de alergias pode também estar relacionada a esse balanço no consumo desses dois tipos de óleos. A margarina, por exemplo, é de origem vegetal e é mais consumida do que manteiga de origem animal. Mas a margarina vegetal vem carregada de óleos Ômega 6.

Além do óleo Ômega 3, a carne de peixe também contém vitamina D, ou uma particular proteína, ainda desconhecida, responsável por essa proteção.

Quem quiser saber mais sobre este trabalho “Eating fish and farm life reduce allergic rhinitis at the age of twelve”, ele foi publicado na revista médica Pediatric Allergy and Immunology. doi.org/cks7

Sobre André Sarria

Trabalho com ciência, mas não daqueles iguais aos filmes que vivem tentando criar uma super criatura radioativa capaz de dominar o mundo, sou mais um "escutador" da natureza do que cientista. A natureza fala e eu a traduzo em linguagem de gente. Nasci em Cajobi e atualmente moro em Londres onde sou pesquisador no Departamento de Biointerações e Proteção de Colheitas em Rothamsted Research.

Check Also

(Foto Ylvers_CreativeCommons)

Pássaros do fogo

“Bombeiros e voluntários levaram horas para controlar aquele incêndio, o trabalho estava cada vez mais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *