Artigos Recentes

Atibaia seco em 2014: rios e matas da APA de Campinas demandam atenção permanente (Foto Adriano Rosa)

Da febre amarela à cólera dos rios: lições de 1889 para a Campinas de 2017

No livro “Campinas do Matto Grosso: Da febre amarela à cólera dos rios”, de 1997, comentei o impacto da epidemia que por pouco não devastou a cidade no final do século 19, no auge da riqueza proporcionada pelo Ciclo do Café e em plena euforia do movimento republicano. Agora, 2017, que a febre amarela volta a assustar a metrópole que é polo industrial, científico e tecnológico, é importante resgatar as lições daquela tragédia, que teve seu auge em 1889 mas durou até 1897, um ano depois da morte do ícone local, Antônio Carlos Gomes. Tratei do mesmo tema em outros livros, como “Câmara em Foco: Os 200 anos do Poder Legislativo em Campinas” e “Campinas, Imagens da História” (Editora Komedi), de 2007. São …

Leia Mais »
Viracopos: vantagem comparativa de Campinas, inaugurado há 56 anos (Foto Adriano Rosa)

Campinas ainda está longe de ser uma cidade sustentável

Mais uma vez Campinas aparece bem posicionada em ranking nacional. Agora, em sexto lugar no Índice de Desafios da Gestão Municipal (IDGM), que considera 16 indicadores em cinco áreas: Educação, Saúde, Segurança, Saneamento e Sustentabilidade. São justamente algumas das áreas que vêm mostrando que, apesar de suas inegáveis vantagens comparativas com relação ao quadro geral do Brasil, Campinas ainda está longe de ser considerada uma cidade efetivamente sustentável. Sim, não dá para negar. Tenho andado muito por este Brasil nos últimos anos e dá para afirmar que Campinas continua muito à frente em vários quesitos, como o seu polo científico e tecnológico, a sua malha logística – com destaque para as rodovias e Aeroporto Internacional de Viracopos – e o parque universitário, …

Leia Mais »
Brasília vai sediar o polêmico Fórum Mundial da Água (Foto Adriano Rosa)

Pressão pela privatização do saneamento avança, um ano antes do Fórum Mundial da Água

Projetos de privatização da transposição do São Francisco e da Cedae, no Rio de Janeiro. Venda de terras – e, com elas, nascentes de água – a estrangeiros. Compra de 70% da Odebrecht Ambiental (que controla vários serviços municipais de saneamento no Brasil, como o de Sumaré) pela canadense Brookfield. São vários os passos apontando para uma ofensiva pela privatização da água e do saneamento no país. Isto, a pouco mais de um ano do Fórum Mundial da Água que, em sua oitava edição, será realizado em Brasília, em março de 2018. O Fórum é promovido pelo Conselho Mundial da Água, organização criada com apoio de grandes corporações do setor e que já foi muito refratário a considerar a água potável e saneamento …

Leia Mais »
Capa da Folha da Tarde, noticiando a renúncia de Jânio Quadros

Jânio Quadros e o teatro da política, ontem e hoje

Eu ainda era foquinha, estudando à noite na UNIMEP e trabalhando à tarde no jornal “O Diário”, do Cecílio Elias Netto, quando tive a oportunidade de entrevistar o sr.Jânio Quadros, cujo centenário de nascimento acaba de ser lembrado. O Cecílio me chamou e desci da redação no segundo andar para sua sala no térreo e tive a surpresa de encontrar o folclórico ex-presidente. Eu era ainda mais ingênuo do que sou mas mesmo assim pude em poucos minutos perceber o quanto de teatral tinha aquele homem, que inaugurou um padrão seguido até hoje pela classe política. Discurso empolado e gestos dramáticos, muito bem captados pelas lentes do intrépido Marcos Muzi. Foi uma longa conversa. Falou-se de tudo. Jânio estava voltando à cena depois de …

Leia Mais »
A Internet mudou e vai continuar mudando tudo, mas não a essência do bom e velho jornalismo de sempre (Foto Adriano Rosa)

Proust, jornalismo de celebridades e paixão pela profissão

As obras-primas da literatura são obras-primas porque universais e atemporais. Não importa o lugar nem a data em que foram escritas e/ou publicadas. As verdades ou incertezas que elas transmitem são eternas. Muito já se falou, por exemplo, sobre a universalidade e encanto permanente de “Em busca do tempo perdido”, de Marcel Proust. Vou me ater apenas a um tópico, que diz respeito diretamente à profissão que escolhi e que amo tanto, o jornalismo. A passagem está em “No caminho de Swann”, o primeiro dos sete volumes da obra imortal, e mais precisamente quando a “tia Flora” debate com o próprio Swann sobre o status dos jornais da França da época: a segunda metade do século 19. Swann faz uma …

Leia Mais »