Artigos Recentes

Discussão na Internet: nível caiu muito, mostra estudo (Foto Creative Commons)

Estamos ficando burros?

É inegável que as redes sociais tenham dado voz a muita gente. O escritor Umberto Eco disse uma vez que a internet deu voz aos imbecis, mas penso que este direito me parece bastante democrático e importante. Sendo assim, todos podemos contribuir com ideias e opiniões e, juntos, podemos fazer uma sociedade mais justa e crescer em conhecimentos e tecnologia, certo? Bem, deveria, mas não é isso o que vemos, tamanha é a quantidade de discursos de ódio que brotam diariamente das redes sociais. Dizem que, quando Donald Trump se tornou um forte candidato a se tornar o presidente dos Estados Unidos, palavras de racismo se tornaram bastante aceitáveis pelas pessoas; no Brasil, com o avanço da popularidade de alguns candidatos e organizações, ao que parece, a situação é bastante parecida. Pesquisadores mostraram que, quando as pessoas são expostas a …

Leia Mais »
Cacalo_onibus2_1400

Escada rolante em transe

Encostei a cabeça na poltrona do ônibus. Comecei a fechar os olhos.  Era uma sorte para quem nunca sequer “cochilava”. Resolvi nem pensar no assunto. E me deixei levar. Dormi. Mas acordei logo. Foi apenas um pedaço de sono. Meu vizinho nem tentou se preocupar com o assunto. Preferiu o atropelamento de joelhos. Despertei assustado. Saí da minha cadeira e o deixei passar. Ele começou a procurar algo no porta-treco do lado de cima. Na verdade, começou a vasculhar tudo que via. E todos acordaram. Foi quando lembrei-me que no meio da viagem alguma coisa caiu lá de cima. Tomei cuidado, apanhei o  embrulho  e pus lá em cima novamente. Foi o que aconteceu. Mas não era isso que ele via agora. Ele andava como um louco por todos os assentos. O motorista resolveu acender a luz interna. E enfim …

Leia Mais »
Como criar o filho para um novo mundo? (Foto Divulgação)

“Mulheres do Século 20” ensina o novo homem a amar a nova mulher

Há um otimismo sobre como a sociedade poderia ser construída em “Mulheres do Século 20” que chega a doer olhar em volta e não entender como aquilo deu nisso. É 1979, na ensolarada Califórnia, e nesta nostálgica viagem no tempo do diretor Mike Mills entramos na vida de três mulheres, uma nasceu nos anos 1920, uma nos anos 1950 e uma nos anos 1960. Elas estão em torno de uma missão em comum: como fazer do adolescente Jamie (Lucas Jade Zumann) um homem preparado para amar e respeitar a nova – e revolucionária – mulher que começa a ganhar forma? O norte-americano Mike Mills foi criado sozinho pela mãe em uma casa enorme na Califórnia e para manter a residência alguns quartos eram alugados. O roteirista e cineasta teve, assim, a oportunidade de conhecer pessoas bem diversas durante sua infância …

Leia Mais »
Crédito: Reprodução

Assunto de homem

“A clínica chamara, eu deveria entregar a amostra para ser congelada no dia seguinte às dez da manhã em ponto. Fui às oito, queria ter tempo de sobra para entregar o material. Recebi as orientações de uma enfermeira que dizia que eu deveria lavar muito bem as mãos, que não usasse nenhum tipo de gel ou saliva, ouvia tudo de cabeça baixa como a um garoto ouvindo o sermão de uma mãe irritada com as suas travessuras, era vergonha, arrependimento e ansiedade. Entrei na sala, segurando um potinho de tampa vermelha que ela me entregara. Diante de tantas tecnologias médicas, a coleta de sêmen é feita sem nenhum equipamento especial nem especialista, tudo é feito, MANUALMENTE, se é que vocês me entendem… A sala não tinha mais que dois metros quadrados. Num canto uma cadeira azul; ao lado, uma mesinha …

Leia Mais »
Crédito: iStock

E a coisa era outra coisa…

Desempregado há um ano e meio, claro que não vi problema algum em me candidatar ao trampinho oferecido pela internet: “Precisa-se de cobaias para experimento inovador do Laboratório Avançado de Estudos Neuronais. Procedimento não prejudicial a saúde. Remunera-se bem. Candidatos devem ser maiores de idade, passarem em testes de acuidade cognitiva, se absterem de álcool, tabaco, drogas ilícitas e medicamentos psicoativos por no mínimo 48 horas, e terem, no mínimo, formação escolar média”. Ora, que preju adviria de deixar que uns doidos de jaleco me metessem uns sensores na cachola? O problema: não imaginei que a merda me transformaria, contra minha vontade, num viajante extradimensional, mais perdido que cachorro em dia de mudança. * * * Tá, cheguei no lugar indicado, entrei numa fila com alguns outros candidatos pingados, me inscrevi. Quando chegou minha vez, o que não demorou nadica, …

Leia Mais »