O que a sustentabilidade pode fazer por você

FabiMarcelaMixBazar_0040É estranho esse título. Ainda mais invertido. Geralmente é o que você pode fazer para a sustentabilidade.

Fato é que está ficando insustentável viver como se não houvesse amanhã, consumindo e esgotando os recursos disponíveis para adquirir coisas e mais coisas em nome de uma satisfação imediata que nunca se esgota.

Nos tornamos dependentes dessa rotina e estamos ficando cansados. Descobrir que a sustentabilidade é que pode fazer algo por nós é uma experiência libertadora: pensar sustentável propicia trocar a satisfação imediata por algo mais perene, o que acaba com boa parte de nossas angústias.

Para tanto, é necessário diminuir o ritmo num compasso que permita ao menos mudar a chave do nosso modus operandi que está viciado na forma imediatista e irresponsável que aprendemos a consumir para um modelo mais consciente, um tipo de consumo amparado pela economia colaborativa, ligado mais ao acesso do que à posse.  Será preciso uma reabilitação, desintoxicar anos de consumo sem filtro.

E isso depende de cada um de nós.

Experimente desenvolver uma relação mais sincera com o que você deseja versus o que você precisa de fato.  Depois pense na cadeia toda de recursos naturais e (nada) humanos que é mobilizada para que a sua necessidade de consumo seja atendida instantaneamente. “Será que preciso mesmo disso?”

A ideia desta coluna é conversar sobre as novas formas de consumo da economia criativa para os próximos ciclos e trazer alguns hábitos simples que podem ser incorporados Fotos: Mix Bazar
A ideia desta coluna é conversar sobre as novas formas de consumo da economia criativa para os próximos ciclos e trazer alguns hábitos simples que podem ser incorporados Fotos: Mix Bazar

 

Tente gastar seu tempo com novas experiências ao invés de se render aos velhos hábitos de consumo. Por exemplo, pense simples: fazer um piquenique pode valer mais do que um almoço num restaurante pelo fato de que tudo o que envolve sua realização, desde o preparo até o encontro para a refeição, passa a ser uma uma experiência. Ou, criar uma mini horta em sua casa, para que possa usar as verdinhas na sua própria comida ou para preparar sucos e chás mais saborosos e saudáveis, elimina um item da sua listinha de compras.

Mas veja, novos hábitos requerem uma nova postura no seu dia-a-dia. Sair um pouco da rotina e se arriscar em novos formatos dá trabalho no começo, pois, faz-se necessário pesquisar sobre as coisas e nos faz pensar sobre onde estamos e onde queremos chegar na nossa jornada neste planeta.

A ideia desta coluna é conversar sobre as novas formas de consumo da economia criativa para os próximos ciclos e trazer alguns hábitos simples que podem ser incorporados na sua vida e que vão despertar novos comportamentos e experiências. Mostrar o que a sustentabilidade pode fazer por nós e pelo coletivo. Falar de algumas pessoas que têm um trabalho incrível nesse sentido e que estão bem aqui do nosso lado. Mostrar que pequenos passos podem ser transformadores – embora a gente custe a acreditar nisso e, por esse motivo, deixamos para os outros a responsabilidade de ações que podem ser nossa.

Enfim, enxergar o quanto a sustentabilidade pode transformar o sistema e as pessoas.

E vice-versa.

Seja bem vindo!

 

 

Sobre Fabiana & Marcela Pacola

FABIANA PACOLA IUS – Paulista, Jornalista e comprometida com o design. Planejar o visual gráfico é um desafio que considera fascinante. Acredita nas sutilezas do humor. Ultimamente anda de mãos dadas com a economia criativa e colaborativa. A sustentabilidade e o consumo consciente andam rondando seu cotidiano. MARCELA BRANDI PACOLA – Paulista, administradora de empresas, curiosa e inquieta. Dentre suas paixões, a moda e a arte sempre ocuparam um lugar especial. Depois de uma longa jornada pelo mundo corporativo, resolveu dar uma chacoalhada na sua vida e se aventurar pelo universo da economia criativa. Acredita que os novos modelos de negócio desenvolvidos a partir da criatividade e do colaborativo nos ajudarão a construir um futuro mais humano e sustentável.

Check Also

Conhecidos lá fora como mercado das pulgas, second hand shops e garage sale, os brechós são populares nos Estados Unidos e na Europa     Fotos: Divulgação

Sobre brechós, mitos e novos hábitos

Era uma edição especial de brechó. Muita gente, muitas peças, umas vestindo, outras pedindo; e …

Um comentário

  1. Boa tarde.
    Tudo bem?
    Ótimo artigo. Há exato um ano abri um bazar/brechó exatamente por acreditar e estar a cada mais preocupada com o rumo das coisas.
    Gostaria de saber se posso publicar este artigo no Facebook do Bazar? É claro que com as devidas refrências autorais.
    Desde já, muito obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *