"A forma da água",  um dos fortes candidatos (Foto Divulgação)
"A forma da água", um dos fortes candidatos (Foto Divulgação)

Mulheres e monstros em um Oscar mais inclusivo após as denúncias de assédio

DaniPrandi_0188c_500O anúncio da lista dos indicados ao Oscar é sempre um acontecimento para quem é fã de cinema e nesta temporada havia um suspense a mais, já que há um movimento pelo boicote a filmes produzidos, escritos e/ou protagonizados por homens da indústria pegos com as calças na mão na avalanche de denúncias de assédio sexual digna dos melhores filmes-catástrofes de Hollywood. Conclusão: tiraram James Franco da festa. Mas não só.
O Oscar 2018 mostrou que aprendeu a lição após acusações de discriminação em edições anteriores (apesar de ter esnobado a “Mulher-Maravilha” de sua lista de indicados). Outras “mulheres-maravilhas”, porém, garantiram seu lugar, como a jovem e talentosa Greta Gerwig, que vai concorrer nas categorias melhor direção e melhor roteiro original por seu “Lady Bird”, que recebeu cinco indicações. Também indicaram pela primeira vez uma mulher na categoria melhor fotografia, Rachel Morrison, por “Mudbound: Lágrimas sobre o Mississippi”.  O momento é de inclusão, mas há um esforço concentrado para garantir que a festa seja colorida, e não com todas as mulheres de luto, como ocorreu na entrega do Globo de Ouro, considerado uma prévia do Oscar, semanas atrás.
Greta Gerwig vai concorrer nas categorias melhor direção e melhor roteiro original por seu "Lady Bird" (Foto Divulgação)
Greta Gerwig vai concorrer nas categorias melhor direção e melhor roteiro original por seu “Lady Bird” (Foto Divulgação)
E James Franco? Protagonista do elogiado “Artista do Desastre”, o ator levou o Globo de Ouro e o Critic’s Choice e chegaria ao Oscar como favorito não fosse o fato de (até agora) cinco mulheres o denunciarem por assédio. De favorito a esnobado foi um take.
O filme com o maior número de indicações, 13,  também é simbólico ao apontar para um  escapismo necessário, que, entre outras coisas, é uma das funções do próprio cinema. “A Forma da àgua” conta a história de um romance entre uma mulher muda que se apaixona por um monstro aquático (é sério!) e compete nas prestigiadas categorias melhor filme, diretor, atriz e  roteiro (a criatura, notem, não foi indicada). Com direção do espanhol Guillermo Del Toro, venceu em setembro passado o Festival de Veneza. Ainda não chegou às telas do Brasil, mas a estreia já  está marcada para 1º fevereiro.
"A forma da água" recebeu 13 indicações (Foto Divulgação)
“A forma da água” recebeu 13 indicações (Foto Divulgação)
A crítica internacional definiu “A Forma da Água” como uma “fábula” e viu na relação entre a mulher e a criatura uma alusão ao mundo xenófobo de ontem e de hoje. Del Toro, por sua vez, gosta de repetir que é um aficionado por cinema de monstros e que o filme é uma homenagem ao seu monstro preferido, “O Monstro da Lagoa Negra”, de 1954. Em tempos de “monstros” que atraem mulheres para seus quartos de hotéis cinco estrelas de Hollywood para dar o bote é até um alívio a candura deste improvável conto de fadas de Del Toro, que disse ter feito de tudo para que a criatura ficasse com a mocinha no final. A conferir.
Rachel Morrison foi indicada por "Mudbound: Lágrimas sobre o Mississippi": pioneira (Foto Divulgação)
Rachel Morrison foi indicada por “Mudbound: Lágrimas sobre o Mississippi”: pioneira (Foto Divulgação)
A 90ª edição do Oscar será dia 4 de março, com Jimmy Kimmel em sua segunda vez como apresentador. Veja a lista dos indicados, anunciada nesta terça-feira (23 de janeiro).

OS INDICADOS

Melhor filme
“Dunkirk”
“Me chame pelo seu nome”
“O destino de uma nação”
“Corra!”
“Lady Bird – É hora de voar”
“Trem Fantasma”
“The Post – A Guerra Secreta”
“A forma da água”
“Três anúncios para um crime”

Melhor diretor
Martin McDonagh (“Três anúncios para um crime”)
Jordan Peele (“Corra!”)
Greta Gerwig (“Lady Bird: É hora de voar”)
Paul Thomas Anderson (“Trem fantasma”)
Guillermo del Toro (“A forma da água”)

Melhor ator
Timothée Chalamet (“Me chame pelo seu nome”)
Daniel Day-Lewis (“Trem Fantasma”)
Daniel Kaluuya (“Corra!)
Gary Oldman (“O destino de uma nação”)
Denzel Washington (“Roman J. Israel, Esq.”)

Melhor atriz
Sally Hawkins (“A forma da água”)
Frances McDormand (“Três anúncios para um crime”)
Margot Robbie (“Eu, Tonya”)
Saoirse Ronan (“Lady Bird: É hora de voar”)
Meryl Streep (“The Post – A Guerra Secreta”)

Melhor ator coadjuvante
Willem Dafoe (“Projeto Flórida”)
Woody Harrelson (“Três anúncios para um crime”)
Richard Jenkins (“A forma da água”)
Sam Rockwell (“Três anúncios para um crime”)
Christopher Plummer (“Todo o Dinheiro do Mundo”)

Melhor atriz coadjuvante
Mary J. Blige (“Mudbound”)
Allison Janney (“Eu, Tonya”)
Lesly Manville (“Trem Fantasma”)
Laurie Metcalf (“Lady Bird: É hora de voar”)
Octavia Spencer (“A forma da água”)

Melhor filme estrangeiro
“A fantastic woman” (Chile)
“The insult” (Líbano)
“Loveless” (Rússia)
“On Body and Soul” (Hungria)
“The Square” (Suécia)

Melhor filme de animação
“O poderoso chefinho”
“The breadinner”
“Viva: A vida é uma festa”
“O touro Ferdinando”
“Com amor, Van Gogh”

Melhor roteiro adaptado
“Artista do desastre” (Scott Neustadter e Michael H. Weber)
“Me chame pelo seu nome” (James Ivory)
“A Grande Jogada” (Aaron Sorkin)
“Logan” (Scott Frank, James Mangold e Michael Green)
“Mudbound” (Virgil Williams and Dee Rees)

Melhor roteiro original
“Doentes de Amor” (Emily V. Gordon e Kumail Nanjiani)
“Corra!” (Jordan Peele)
“A forma da água” (Guilermo Del Toro)
“Lady Bird: É hora de voar” (Greta Gerwig)
“Três anúncios para um crime” (Martin McDonagh)

Melhor fotografia
“Blade Runner 2049” (Roger Deakins)
“O destino de uma nação” (Bruno Delbonnel)
“Dunkirk” (Hoyte van Hoytema)
“Mudbound” (Rachel Morrison)
“A forma da água” (Dan Laustsen)

Melhor edição
“Baby driver”
“Dunkirk”
“Eu, Tonya”
“A forma da água”
“Três anúncios para um crime”

Melhor direção de arte
“A bela e a fera”
“Blade Runner 2049”
“O destino de uma nação”
“Dunkirk”
“A forma da água”

Melhor figurino
“A bela e a fera”
“O destino de uma nação”
“Trem Fantasma”
“A forma da água”
“Victoria e Abdul”

Melhor maquiagem e penteado
O Destino de Uma Nação
Extraordinário
Victoria e Abdul – o Confidente da Rainha

Melhor mixagem de som
“Em ritmo de fuga”
“Blade Runner 2049”
“Dunkirk”
“A forma da água”
“Star Wars: Os últimos Jedi”

Melhor edição de som
“Em ritmo de fuga”
“Blade Runner 2049”
“Dunkirk”
“A forma da água”
“Star Wars: The Last Jedi”

Melhor efeitos visuais
“Blade Runner”
“Guardiões da Galáxia Vol. 2”
“Kong: A Ilha da Caveira”
“Star Wars: Os últimos Jedi”
“Planeta dos Macacos – A Guerra”

Melhor documentário
“Abacus: small enoguh to jail”
“Faces places”
“Icarus”
“Last men in Aleppo”
“Strong island”

Melhor documentário de curta-metragem
“Edith+Eddie”
“Heaven Is a Traffic Jam on the 405”
“Heroin(e)”
“Knife Skills”
“Traffic Stop”

Melhor trilha sonora original
“Dunkirk”
“Trem Fantasma”
“A forma da água”
“Star Wars: Os últimos Jedi”
“Três anúncios para um crime”

Melhor canção original
“Mighty river”, de “Mudbound: Lágrimas sobre o Mississipi”
“Mystery of love”, de “Me chame pelo seu nome”
“Remember me”, de “Viva: A vida é uma festa”
“Stand up for something”, de “Marshall”
“This is me”, de “O rei do show”

Melhor curta-metragem
“Dekalb Elementary”
“The 11 o’ clock”
“My Nephew Emmett”
“The silent Child”
“Waty Wote/All of us”

Melhor curta-metragem de animação
“Dear Basketball”
“Garden Park”
“Lou”
“Negative Space”
“Revolting Rhymes”

Sobre Daniela Prandi

Daniela Prandi, paulista, jornalista, fanática por cinema, vai do pop ao cult mas não passa nem perto de filmes de terror. Louca por livros, gibis, arte, poesia e tudo o mais que mexa com as palavras em movimento, vive cada sessão de cinema como se fosse a última.

Check Also

O filme mostra com enorme colorido o processo criativo e a agonia do artista (Foto Divulgação)

Nem tudo são cores na viagem ao Taiti de Paul Gauguin

A sessão de “Gauguin – Viagem ao Taiti”, uma das atrações do recém-encerrado Festival Varilux, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *